Arquivo de etiquetas: formação profissional

“Agricultura muito além de solo, pasto e grãos”

Entre os dias 03 a 06 de Junho, na Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, a FEAB organiza o XIV Encontro Regional dos Estudantes de Agronomia da Região Sul.

A proposta do encontro é reunir estudantes dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, para se debruçar em torno daquela que pode ser considerada a questão fundamental do movimento estudantil da Agronomia: Qual a formação necessária e as demandas para um profissional comprometido com a agricultura familiar camponesa?

A temática também traduz a necessidade pautada pela FEAB, que é entender nossa formação profissional não apenas pela ótica da técnica, dos laboratórios e de pesquisas isoladas da realidade, mas sim a necessidade de se discutir também as decisões políticas e seus reflexos no meio agrário, já que apenas com um profissional de formação ampla, abrangente, social e antropológica podemos interferir no campo brasileiro de maneira a superar as contradições hoje tão latentes.

Além das discussões, haverão espaços para garantir a troca de experiência, o contato com técnicas alternativas, vivências para conhecer a realidade da região de Florianópolis e experiências de agroecologia, além de promover através da cultura a integração entre os estudantes das diversas universidades do sul do país.

blogue: http://ereafloripa.blogspot.com

“Livro para comida, prato para educação”

De 21 a 25 de abril, aconteceu XI ERA Nordeste mostrando mais uma vez a tradição nordestina nos encontros de Agroecologia.

Plenária do ERA Cruz das Almas

Com mais de 500 pessoas envolvidas não só do nordeste mas de todo Brasil, do Rio Grande do Sul ao Pará, encontristas, comissão organizadora, coordenadores, grupos artisticos, palestrantes e professores, o XI ERA NE conseguiu relacionar a Agroecologia com diversas temáticas que fazem parte do dia-a-dia estudantes das agrárias dentro da universidade e do movimento estudantil.

Depois da abertura, com falas da UFRB, FEAB, ABEEF e ENEBio, e um espaço contemplando os mais de 150 anos de história da escola de agronomia da Bahia e a importância do movimento estudantil num contexto mais atual situaram os estundantes onde estavam pisando.

Ato Público

Na reunião das executivas cristaliza o trabalho da FEAB e suas coordenações, das passadas ao o encontro, reunindo mais de 100 estudantes para a reunião da FEAB, que além dos tradicionais repasses, aprensentamos a FEAB aos mais novos num espaço que atropelou a cultural ultrapassando as 23 horas, mais uma vez mostrando que o nordeste é de luta e sabe o que é prioridade para os estudantes comprometidos com a classe trabalhadora.

Convivência com o semiárido e universidade foram os temas principais durante o encontro, passando por painéis paralelos, oficinas e ATO Público. Apesar do cançaso e correria, a escola de Cruz das Almas está de parabéns pelo sucesso do evento, e ainda mais, conseguiu além de reunir uma CO com mais de 25 pessoas, trouxe ex-FEAB para todos os espaços, do curso de

Reunião da FEAB

coordenadores que antecede o encontro aos painéis paralelos, mostrando a continuidade do movimento estudantil, e que com os empecilhos da rotina do estudante, a escola de Cruz das Almas ano a ano continua de sempre de luta!

Confira a carta redigida no final do encontro pela FEAB, ENEBio e ABEEF: Carta XI ERA

Construindo o movimento estudantil e a agroecologia

A FEAB, juntamente com outras entidades estudantis, como a ABEEF, a ENEBio, irá organizar no mês de abril dois encontros que irão ter como o tema a nossa proposta para a agricultura brasileira: a Agroecologia. Ao longo de sua história a FEAB foi protagonista ativa da crítica ao excludente modelo vigente no campo brasileiro: o Agronegócio.

Seja nas universidades, questionando o pacote tecnológico irracional da revolução verde, ou junto com os movimentos sociais, apontando as contradições da agricultura tradicional, a Federação sempre se colocou ao lado de um modelo que esteja a serviço do povo brasileiro, e não aos grandes latifundiários e transnacionais da agricultura.

Como parte dessa discussão, irá ocorrer em Cruz das Almas – BA o XI Encontro Regional de Agroecologia, dos dias 21 a 25 de Abril. Logo em seguida em Botucatu – SP, de 30 de Abril a 02 de Maio, os estudantes organizam o I Encontro Regional de Agroecologia, a primeira atividade envolvendo toda a região sudeste.

Mais informações:

XI ERA Nordeste – “Livro para comida, prato para educação”

Local: Universidade Federal do Recôncavo Baiano – UFRB, Cruz das Almas – BA

Data: 21 a 25 de Abril

Blogue: http://www.xieranordeste.blogspot.com/

I ERA Sudeste – “Agroecologia para além da Técnica e da Agricultura Orgânica”

Local: Universidade Estadual Paulista – UNESP, Botucatu – SP

Data: 30 de Abril à 02 de Maio

Blogue: http://erabotucatu.wordpress.com

História e Significado – do símbolo da Agronomia e do símbolo da FEAB

Uma pergunta comum entre os estudantes calouros do curso de Agronomia e também dos mais antigos é: “Qual o significado do símbolo da agronomia?”

O primeiro símbolo da profissão do Engenheiro Agrônomo surgiu em 1946 por ocasião da regulamentação da profissão e era uma engrenagem – simbolizando a engenharia – com um arado dentro – simbolizando a agricultura. Em 1963 ele foi reformulado, ganhando mais detalhes e escrito “Engenheiro Agrônomo” ao longo da engrenagem.

1946
1963
1969

O símbolo que persiste até hoje e ganhou alcance nacional surgiu em 1969, no VI CBA – Congresso Brasileiro de Agronomia realizado pela FAEAB (Federação das Associações dos Engenheiros Agrônomos do Brasil), realizado em Porto Alegre/RS. Na época a FAEAB tinha um debate mais progressista e crítico, sendo anos depois uma das organizações que apoiou a fundação da nossa FEAB e estivemos lutando juto em torno de várias pautas, principalmente nas críticas à revolução verde e a construção da Agricultura Alternativa no país. Durante os anos oitenta a FAEAB foi sofrendo mudanças políticas e mudou bastante, mas isso já é outra história. Os “A” do símbolo representam as Associações de Engenheiros-Agrônomos dos Estados filiados à FAEAB, mostrando no seu conjunto a união das mesmas nas soluções dos problemas das Associações, dos Agrônomos, da Agronomia, da Agricultura, da Agropecuária e da Agroindústria.

Finalmente o símbolo da FEAB, a Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil. Nosso símbolo é um aprimoramento do símbolo da profissão.

Ao invés de “deitado”, com duas de suas pontas tocando uma linha horizontal imaginária, ele tem a orientação vertical, ficando com apenas uma extremidade embaixo e outra apontando pra cima. Esse é o símbolo do Movimento Estudantil da Agronomia e sua posição é essa para dar idéia de movimento e renovação constantes, ao contrário do outro símbolo que dá a impressão de estar estático, parado. Está presente na bandeira da FEAB, em nossos cartazes e materiais.

Símbolo da FEAB

Pode parecer uma diferença sutil mas em diversas universidades do país fica claro qual símbolo é de quem. Enquanto estudantes organizados utilizam o símbolo da FEAB, os professores, direção, e demais conservadores fazem questão de usar a versão original do símbolo. É só fazer uma rápida pesquisa pra ver que as organizações que promovem o agronegócio e o latifúndio se utilizam do primeiro símbolo. O símbolo invertido lembra também a nossa maneira crítica de observar e construir os vários “A” que estão representados, sob a perspectiva de transformação da sociedade como um todo.

Simboliza nossa luta e toda a história d@s estudantes de agronomia organizados ao longo de mais de 50 anos.