NOTA SOBRE A OCUPAÇÃO OCORRIDA DURANTE O 14º ACAMPAMENTO LATINO-AMERICANO DA JUVENTUDE DA VIA CAMPESINA

Vimos através desta saudar a todos e todas os e as estudantes de Engenharia Florestal e Agronomia da região do Sul do Brasil e discutir sobre a realização da ocupação da Fazenda Pompilho, durante o 14º Acampamento Latino-Americano da Juventude da Via Campesina, que ocorreu nos dias 20 a 23 de novembro de 2014, em Palmeira das Missões – RS e reuniu cerca de 2000 jovens de diversas regiões do Brasil e de 18 países do Continente Americano, representando inúmeras organizações populares, campesinas e urbanas.

No dia 22 de novembro de 2014, como parte da programação do evento, ocorreu um ato simbólico na Fazenda Pompilho, a qual possui cerca de 2.000 hectares cultivados com milho transgênico, próximo á cidade de Palmeira das Missões. Sendo que a área total do proprietário da fazenda, que já foi prefeito do município, permeia os 20.000 hectares que são distribuídos na região.

A Via Campesina realiza atos com o intuito de denunciar o modelo excludente e predatório que é o Agronegócio, que vem constantemente aumentando sua fronteira agrícola através da retaliação e da expulsão de agricultores familiares, indígenas e quilombolas de suas áreas e territórios. Um modelo baseado na máxima exploração do meio-ambiente, na aplicação de agrotóxicos e fertilizantes químicos, e que tem como principal objetivo produzir commodities agrícolas para exportação, como a soja, o milho e a cana. Um sistema comprovadamente falido de produção, constatado quando olhamos os dados alarmantes do êxodo rural, dos índices de câncer na agricultura e o estratosférico aumento da aplicação de agrotóxicos que não acompanhou o aumento da produtividade. Um setor atrasado que impede o Brasil de se desenvolver. Contudo, pelo poder econômico que possuem, ainda tem nas mãos uma ampla parcela de senadores e deputados organizados na bancada ruralista, que operam apenas a favor dos grandes e poderosos.

O ato realizado na Fazenda Pompilho foi pela possível nomeação da senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, sendo que a mesma já foi presidente da bancada ruralista e possui vários processos judiciais por crimes de aquisição de terras de maneira ilegal. Esta senadora representa o modelo de agricultura supracitado, que exclui e ignora os pequenos agricultores podendo trazer diversos retrocessos para a agricultura familiar e camponesa do Brasil, que hoje é responsável pela produção de 70% dos alimentos que consumimos.

Assim sendo, repudiamos toda e qualquer ação que venha difamar a imagem, e perseguir política e ideologicamente militantes dos movimentos ali presentes, por acreditar que enquanto estudantes e futuros profissionais, temos o dever de fazer uma leitura crítica da realidade agrária do nosso país e de seu modelo de desenvolvimento, trazendo a necessidade de discutir essas questões, atuar e se posicionar para além dos muros da universidade.

Nota escrita por:
Associação Brasileira de Estudantes de Engenharia Florestal – ABEEF
Coordenação Regional Araucária – UFSM – Frederico Westphalen e Santa Maria
Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil – FEAB
Coordenação Regional 01 – UFFS – Campus Cerro Largo

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s