A juventude do gueto contra o Extermínio dos Pretos e Pretas!

O Racismo12278730_10208077984853269_6649533671064132434_n é uma ideologia que projeta uma falsa ideia de que uma raça(branca) é superior as demais, esta ideologia é o alimento e o incentivo da naturalização do genocídio do povo negro pelo qual passamos. Lembremos que o racismo e a negação de direitos ao povo negro aqui no Brasil tem as suas raízes no Escravismo. Um longo período que se estendeu do século XVI ao XIX onde a população negra foi tida como mercadoria e exportada a diversos Países para serem escravizados.Dia a dia, sol a sol, no chicote e na senzala nosso povo preto sofreu mais de 400 anos.

A falsa abolição veio em 13 de maio de 1888, colocando a população negra
como um grande exército de reserva industrial e sem nenhuma possibilidade de ascensão social.O Estado não se preocupava em garantir direitos a negros e negras, que apesar de terem uma carta de alforria na mão, não tinham nenhuma perspectiva numa sociedade racista.Esses escravos alforriados foram para as ruas do país, sem moradia, sem emprego, sem alimento.Já que a única coisa que o estado deu foi um papel de liberdade, o povo preto teve que resistir nessa terra. E foi construindo suas casas ao entorno das cidades, as chamadas periferias de hoje. Foi resistindo com seus maracatus e jogos de capoeira no fim das noites nos morros(favelas)das cidades Brasileiras. Essa população ao longo da história teve seus direitos negados, transformados apenas em papel de abolição. Logo é importante termos em mente que o racismo no nosso país é herança do escravismo. Racismo este que se tornou velado e institucional, mas oque significa isso?

Quando dizemos que é Velado significa que o Racismo do Brasil é aquele racismo que ”não existe” para a maioria das pessoas, mesmo no nosso dia a dia ainda ouvirmos frases do tipo ” Negro quando não caga na entrada, caga na saída”, aos nossos cabelos, frases do tipo: ”cabelo ruim”, apelidos, ”Macaco”, mulheres negras de ”mulata quente”.

É velado, por que as pessoas dizem que o racismo não existe mesmo com dados como estes:
⦁ ”A cada três assassinatos no País, dois vitimam negros;
⦁ A possibilidade de o negro ser vítima de homicídio no Brasil é maior inclusive em grupos com escolaridade e características socioeconômicas semelhantes.
⦁ A chance de um adolescente negro ser assassinado é 3,7 vezes maior em
comparação com os brancos.
⦁ Assassinatos atingem negros numa proporção 135% maior do que os
não-negros;
⦁ Enquanto a taxa de homicídios de negros é de 36,5 por 100 mil habitantes, no caso de brancos, a relação é de 15,5 por 100 mil habitantes;
⦁ Há uma perda na expectativa de vida devido à violência letal 114% maior para pessoas negras;
⦁ Enquanto o homem negro perde 20 meses e meio de expectativa de vida ao nascer, a perda do branco é de oito meses e meio;
⦁ Pelo menos 36.735 brasileiros de entre 12 e 18 anos serão assassinados até 2016, maior nível desde que o índice começou a ser medido em 2005, quando a taxa era de 2,75 adolescentes assassinados por cada mil;
(Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgada na última quinta-feira, 17/10, reafirmou números que merecem ao menos, um momento de atenção), que comprovam justamente que o Racismo existe sim e mata todos os dias.

É institucional porque o Racismo no nosso país é propagado e reproduzido por TODAS as instituições que existem, por o racismo ser uma ideologia que conseguiu enraizar seus DESvalores do preconceito e superioridade em toda sociedade, logo todos os indivíduos (exceto os e as que se colocam para desconstruir e combater o racismo) acabam reproduzindo estes DESvalores.

Mas o que comprova isso? O fato de uma mulher negra ganhar cerca de 4 vezes menos que uma mulher branca, mesmo possuindo a mesma formação que esta. O fato de que as instituições que garantem direitos básicos como educação, saúde e moradia não chegam às periferias e quando chegam exercem suas funções com péssima qualidade (fazendo um raciocínio lógico, logo vemos que se é nas periferias onde esta a maioria da população negra, é esta população que mais sofre com a negação de direitos).

Esse racismo é institucional pelo fato de que mesmo com o povo negro, sendo maioria no Brasil é a minoria nas Universidades. É a minoria ocupando os cargos de qualquer profissão, exceto as de serviços gerais, domésticas, garis nessas profissões a população negra é maioria e não estamos colocando isso como se a profissão de gari ou de doméstica fosse uma profissão ruim. Estamos colocando e expondo que a população negra não tem OPORTUNIDADE de ser o que quiser, porque só se tem a possibilidade de ocupar cargos nestas profissões.

Comprovamos esse racismo velado e institucional a partir do momento em que os Negros e Negras são apenas 8% no Congresso Nacional.

Comprovamos esse racismo, esse genocídio do povo negro, com a Chacina
ocorrida em Belém do Pará na noite do dia 4 e durante a madrugada do dia 5 de Outubro de 2014, em algumas periferias como por exemplos a Guamá, Terra Firme, Bengui e Tapanã. A mídia noticia 8 mortes, a população afirma que são mais de 40, essa chacina provocada pela polícia, começou com a morte de um cabo que era envolvido em milicias e a resposta dos Policiais de Rondas Ostensivas de Ação Metropolitana(ROTAM) nas redes sociais foi a de que ”iriam a caça”, iriam vingar a morte do Cabo, na periferia essa resposta foi lida pela população da seguinte maneira: constantes rondas, toque de recolher, fechamento das entradas e saídas das periferias e as mais de 40 mortes. Este ocorrido é mais um fato que comprova que o racismo por todo contexto histórico já explanado aqui, mata todos os dias, principalmente nas periferias que é onde se encontra a maioria do POVO NEGRO, lembremos!!

Imaginem, se as pessoas mortas fossem brancas de classe média alta, TODAS AS MÍDIAS estariam noticiando, toda a população estaria comovida. Mas como os 40 assassinados são negr@s da periferia, não desperta indignação e é essa não indignação que repudiamos é esse racismo velado, que desvelamos!

Precisamos desconstruir o preconceito que não nos permite viver. Que faz a nossa cor ser a cor padrão para levantar suspeita nos Policiais, levantar suspeitas e sermos alvo de suas balas. Quem não lembra do caso do estudante Douglas Rodrigues, de 17 anos, baleado na Zona Norte de São Paulo que ao ser baleado perguntou ao policial ”Por que o senhor atirou em mim?”. Quem não lembra do caso da Claudia, mãe de família e doméstica que foi morta e arrastada pela polícia?! O genocídio acontece a todo instante, a cada 24 horas um/uma negro/negra é assassinado. É desumano como esse fato é naturalizado e tido como normal.

Temos que nos colocar na construção de uma sociedade mais justa para tod@s, onde ninguém seja julgada(o), morta(o) pela cor da sua pele. Pois se sabe muito bem, principalmente pela população que vive nas periferias, que a ação da polícia é truculenta, que os negros e negras são os principais alvos de suas balas.

Como podemos ver nossa história nos deixou de herança as opressões que são base e alimento do sistema capitalista em que vivemos. Mas sabemos que somos nós que fazemos a história, então que sigamos construindo uma nova história, história essa que enraizará valores de fraternidade, equidade, igualdade, companheirismo, justiça e amor.

Com isso o Núcleo de Trabalho Permantente Juventude, Cultura, Valores, Raça e Etnia vem por meio desta explanar a tod@s a chacina ocorrida em Belém, Pará e convocar tod@s a se colocarem para desconstruir o racismo em si, no dia a dia e em suas escolas, que esse texto sirva para formação. O NTP certamente irá promover o acumulo pra Federação, mas lembramos de que a formação individual é importante também.

Somos uma Federação que se coloca na construção de um mundo novo, e esse mundo novo não vai existir enquanto o Racismo existir, enquanto qualquer opressão existir. Aqui colocamos nossa solidariedade as famílias das(os) assassinadas(os) na chacina em Belém,Pará! Todas e Todos Presentes,
Presentes, Presentes!!!
PAREM DE MATAR O POVO NEGRO.
E a FEAB é? NEGRA, DE LUTA! DE FRUTA!
NTP de Juventude, Cultura, Valores, Raça e Etnia.
FEAB Fortaleza – Coordenação regional V – 2014/2015

Baixar o texto original: Texto Formativo NTP juventude, cultura, valores, raça e etnia

Esta entrada foi publicada em Coordenação Nacional, Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s